terça-feira, 19 de Novembro de 2013

Bem vindo alunos do AE José Relvas

Olá!
Agora estou no AE José Relvas!!
Para os alunos novos... este espaço serve para partilhar conhecimentos, aproveita e dá algumas sugestões!


Para os alunos do 11ºA... podem tirar algumas dúvidas nos seguintes links :
 



Bom ano!


domingo, 14 de Abril de 2013

Equipa de Futsal da ES Marquesa de Alorna apurada para o Regional

A equipa de Futsal Juvenis Feminina da ES Marquesa de Alorna venceu a fase final do Desporto Escolar entre equipas da C.L.D.E. da Lezíria e Médio Tejo e do C.L.D.E. do Oeste, apurando-se assim para fase Regional.

Ficam aqui os resultados.



Jogo 1 - ES MARQUESA DE ALORNA 5-1 ES RIO MAIOR
Jogo 2 - EB2,3 AMADEU GAUDÊNCIO (Nazaré) 3-2 EB 2.3/S DE MAÇÃO
/4º lugar - ES RIO MAIOR 0-3 EB 2.3/S DE MAÇÃO
1º/2º lugar - ES MARQUESA DE ALORNA 7-2 EB2,3 AMADEU GAUDÊNCIO

A equipa apresentou uma grande qualidade de jogo e marcou muitos golos. Os parabéns às alunas pela sua atitude e por acreditarem que podem sempre melhorar. 
Agora no dia 4 de Maio vão à EB 2,3 Prof. Noronha Feio - Oeiras, disputar a fase final do Regional, com mais três equipas da zona da grande lisboa.







 

segunda-feira, 8 de Abril de 2013

Finais de Futsal Feminino na ES Marquesa da Alorna

A final na modalidade de FUTSAL feminino do Desporto Escolar é no dia 10 de Abril.
Ficam aqui o horários dos jogos
Vem apoiar a tua escola!



Jogo 1- 10:00 ES Marquesa de Alorna vs ES Rio Maior
Jogo 2- 11:00 EB2,3 Amadeu Gaudêncio (Nazaré) vs EB2,3/S de Mação
3ª/4ªlugar- 14:00 Vencido do Jogo 1 vs Vencido do Jogo 2
1ª/2ªlugar- 15:00 Vencedor do Jogo 1 vs Vencedor do Jogo 2

16:00 - Entrega de prémios


domingo, 11 de Novembro de 2012

Basquetebol 3x3


As regras do jogo são as da Federação Portuguesa de Basquetebol, adaptadas ao tipo de jogo 3x3. 

- O jogo tem lugar em ½ campo, sendo o seu início realizado com a “bola ao ar” no
círculo da área restritiva desse ½ campo;
- A equipa que defende, quando sofre um cesto, repõe a bola pela linha final só podendo
atacar o cesto depois de ela ter saído da zona do campo limitada pela linha de 6,25
metros (de 3 pontos) ou para trás do prolongamento da linha de lançamento livre, se
aquela não existir;
- A equipa que defende, quando ganha o ressalto ou intercepta a bola dentro da área de
3 pontos, tem de fazer sair a bola dessa área antes de poder atacar o cesto;
- Quando existe linha de 3 pontos, os cestos marcados atrás dessa linha devem ser
considerados de três pontos;
- As reposições de bola, por faltas ou violações, são feitas na linha que as regras de
basquetebol determinam;
- Após a 5ª falta da equipa, a equipa beneficia de um lance-livre. As faltas técnicas dão
direito a dois lances-livre e posse de bola por parte da equipa atacante;
- Um jogador que atinja 5 faltas será excluído do jogo;
- O jogo termina imediatamente se, por motivo de faltas ou expulsão, uma equipa ficar
reduzida a um jogador;
- O jogo poderá terminar com um empate;


Agora fica com algumas dicas para treinares para o torneio 3x3 da tua escola

quarta-feira, 7 de Novembro de 2012

Regras do Jogo: Andebol

Andebol é uma modalidade desportiva criada pelo alemão Karl Schelenz em 1919, embora se baseasse em outros desportos praticados desde fins do século XIX, na Europa e no Uruguai. Karl Schelenz professor na Escola Normal Superior de Educação Física de Berlim observou numa visita ao Uruguai um jogo a que se chamava Balón. O jogo inicialmente era praticado na relva num campo idêntico ao do futebol e era disputado por duas equipas de onze jogadores cada e era jogado com as mãos. No entanto só foi reconhecido a nível mundial quando apareceu a variante do Andebol de SETE. Esta variante teve origem nos países nórdicos (Suécia e Dinamarca), devido aos invernos rigorosos levando à diminuição do número de jogadores para ser possível jogar em salas fechadas. 
O grande evolução desta modalidade levou em 1938 à realização do I Campeonato do Mundo, com a vitória da Alemanha, embora só a partir de 1954 as competições internacionais começassem a serem disputadas de forma regular. 
Em Portugal, o andebol de onze começou a ser praticado na cidade do Porto, onde foi introduzido nos finais de 1929 pelo desportista alemão Armando Tshopp. 
O andebol masculino começou a fazer parte das modalidades olímpicas em 1972 e o feminino em 1976. 


Depois de lerem o PDF sobre Andebol podem visionar o video. 




O que tenho que saber sobre Natação


Neste video podem ver a técnica de nado nos diferentes estilos.


video

Antes de mais saber que existe a FASE AÉREA (fora de água) e a FASE AQUÁTICA (dentro de água)

Relativamente à técnica de nado - Crawl - vamos fazer um resume:

1)realizar os BATIMENTO DE PERNAS de forma alternada, manter as pernas em extensão durante o batimento; fletir ligeiramente o joelho por ação da água; manter sempre os pés em extensão; manter o corpo em extensão, sem baixar a bacia.

2)realizar a BRAÇADA por movimentos alternados dos braços, ao terminar a fase aérea do braço (direito), entrar com a mão na água no prolongamento do ombro; iniciar a extensão da outra mão, simultaneamente; completar a extensão do braço dentro da água, na fase aérea o cotovelo deve manter-se sempre mais alto do que a mão; respirar rodando a cabeça para o lado do braço que efetua a fase aquática.
Agora chegou a tua vez de participar... diz-me quais são as principais preocupações que devo ter na técnica de nado no estilo COSTAS?

Para ajudar observa os vídeos deste link: 
http://desportovirtual-nuno.blogspot.pt/2012/03/tecnica-de-nado.html

segunda-feira, 21 de Maio de 2012

Tag Rugby

O ENSAIO – objetivo do jogo
Para obter o ensaio o jogador atacante deve transpor a linha de ensaio (linha final do campo) com a bola nas mãos. Cada ensaio marcado vale 1 ponto para a equipa. Ganha a equipa que no final do tempo regulamentar tiver marcado mais ensaios.

O PONTAPÉ DE SAÍDA – início e recomeço do jogo
O jogo começa no centro do terreno com um jogador que toca com o pé na bola (pontapé livre). O jogador atacante pode correr ou passar. Os defensores só podem avançar depois de ter sido efectuado o pontapé livre.

A FORMA DE JOGAR
Ataque
A bola pode ser transportada livremente nas mãos, ou passada para o lado ou para trás (em relação à linha de ensaio do adversário).
A bola não pode ser pontapeada, excepto no início e recomeço do jogo.
O portador da bola NÃO PODE empurrar os adversários, saltar, rodar sobre si próprio, nem proteger ou guardar a(s) fita(s), impedindo que esta(s) lhe seja(m) retirada(s) do cinto.
O portador da bola não pode, deliberadamente, colidir com os adversários.
A partir do momento em que há um “tag”, o portador da bola tem até 3 segundos para passar a bola a um companheiro de equipa.

Defesa
Para parar a progressão do portador da bola, os defensores apenas podem efectuar o “tag”, não podendo nunca, retirar a bola das mãos do atacante.
Em cada “tag” o jogador defensor tem que respeitar SEMPRE a seguinte sequência:
1 – retirar a fita e gritar “tag”; 2 – levantar o braço com a fita na mão; 3 – devolver a fita ao jogador a quem a tirou; 4 – regressar ao jogo.

Após ter efectuado o passe, o jogador em questão só pode regressar ao jogo depois de ter colocado a(s) fita(s) no cinto.

Bola Fora
A bola será considerada fora quando, o portador da bola pisar/ultrapassar a linha lateral e/ou quando a bola tocar/ultrapassar a linha lateral.
O jogo recomeça, no local onde a bola/jogador saiu, com um pontapé livre.

Fora de Jogo
O fora de jogo tem lugar quando há um “tag” e nesta situação todos os jogadores da equipa que defende devem recuar até estarem colocados atrás do defensor que tem a fita (tag) na mão.
Quando é assinalado um pontapé livre, todos os jogadores defensores devem colocar-se a 5 metros do local onde se irá reiniciar o jogo.

quinta-feira, 10 de Maio de 2012

Capacidades Motoras

As capacidades motoras são um dos pressupostos necessários para a aprendizagem e realização de ações motoras desportivas, das mais simples às mais complexas. As capacidades motoras dividem-se em duas dimensões:
- As condicionais (dimensão quantitativa) e as coordenativas (dimensão qualitativa).
1) As capacidades condicionais estão relacionadas com os processos de obtenção de energia (Resistência, Força, Velocidade e Flexibilidade).

1.1. Resistência: permite realizar um esforço relativamente longo, resistindo à fadiga física e psíquica, e permitindo uma rápida recuperação depois do esforço.
1.2. Força: permite superar ou contrariar as resistências ao movimento, com base em forças internas e forças externas. O desenvolvimento da força pode ser de carácter geral quando visa o desenvolvimento de todos os grupos musculares ou de carácter específica quando visa o desenvolvimento de um ou vários grupos musculares caraterísticos dos gestos de cada modalidade.
1.3. Velocidade: permite realizar movimentos no mínimo tempo possível. É a capacidade que, apesar de condicionada pela herança genética de cada um, pode ser muito melhorada se exercitada desde as idades mais baixas.
1.4. Flexibilidade: permite executar movimentos de grande amplitude, através da elasticidade muscular e da mobilidade articular.  

2) As capacidades coordenativas relacionam-se fundamentalmente com os processos de controlo de movimento, dependentes do sistema nervosos central (Orientação, Equilíbrio, Ritmo, ...).

Se quiseres saber toda a informação detalhada sobre as capacidade motoras clica aqui: Capacidades Motoras
  

quarta-feira, 28 de Março de 2012

1ª experiência do 9ºB na Ginástica Acrobática

Os alunos do 9ºB fizeram a sua primeira abordagem à Ginástica Acrobática.
Para já sem música e sem grandes preocupações nas ligações. Todos gostaram e mostraram muito entusiasmo e empenho. Mas para o próximo ano já será bem diferente…  vejam o desempenho dos diversos grupos.
video
video
video
video

sábado, 17 de Março de 2012

12ºE Dança


Pois é, dá mesmo vontade de perguntar onde andaram estes alunos nos últimos anos?
Depois de muito esforço, imaginação e algumas contradições lá aparecem e surpreendem tudo e todos. Realizar uma coreografia com toda a turma não é fácil, fervilham ideias de forma desorganizada, depois temos que quebrar a barreira da vergonha, libertar o corpo, etc... Principalmente quando não acreditamos no nosso valor e quando temos receio de arriscar, enfim “rasgar” com o tradicional.

Finalmente chegou a hora do 12ºE se libertar e fazer um trabalho de equipa que mostrou empenho, imaginação, criatividade e acima de tudo satisfação e orgulho naquilo que estavam a criar.
Lá diz o ditado “mais vale tarde do que nunca”. Os meus sinceros parabéns, gostei! (já posso dizer que é a minha melhor turma do 12ºano de humanidades…hehehe)
Mas não deitem muitos foguetes, porque eu estou à espera de mais… novos desafios se avizinham. (apenas para aqueles que querem sair da “rotina”).
Fiquem com o vídeo da última (mas não a final) apresentação!
video

terça-feira, 7 de Fevereiro de 2012

Jogos Olímpicos

Jogos Olímpicos na ESMA.

Jogos loucos, diversão, surpresas e muita animação!
Atreve-te a Participar!

Inscreve-te até 10 de FEV. junto do teu prof. E.F.

quinta-feira, 26 de Janeiro de 2012

Desporto Escolar na ESMA

<>
 
<>
 
Marinhais - ESMA
2-5
Fazendas Almeirim - João Pratas
8-1
Marinhais - Augusto César
0-2
João Pratas  - ESMA
2-7
Fazendas Almeirim - Augusto César
1-2
Marinhais - João Pratas
7-3
Augusto César - ESMA
3-1
Marinhais - Fazendas
0-5
João Pratas - Augusto César
0-7
Fazendas Almeirim - ESMA
2-5

sexta-feira, 2 de Dezembro de 2011

Teste Teórico Educação Física

Alunos do 12º ano, os conteúdos que vão sair no teste serão sobre Voleibol e Ginástica Acrobática.


Queres saber mais de Voleibol carrega neste link
Alunos do 10º ano, os conteúdos que vão sair no teste serão sobre Ginástica Acrobática / Aparelhos e Futsal.

Alunos do 9º ano, os conteúdos que vão sair no teste serão sobre Ginástica Solo e Badminton.
Queres saber mais de Badminton carrega neste link


Qualquer dúvida, não hesites, deixa aqui a tua pergunta.

Bom estudo!
 

quinta-feira, 1 de Dezembro de 2011

Torneio de Voleibol

Estão abertas as inscrições para o Torneio de Voleibol da Escola Secundária Marquesa de Alorna.
Equipas mistas (4x4), pede o regulamento ao teu professor de E.F.
Participa!
Ganha pontos para o Challenger Esma Sport!


Ginástica Acrobática

Caraterização da Ginástica Acrobática (G.A.):
Ginástica acrobática é, em comparação a ginástica artística e rítmica, uma nova modalidade e tem como principais características a execução de exercícios que exigem força, agilidade e equilíbrio.
Esta modalidade requer do ginasta coragem, força, coordenação e flexibilidade, além das exigências técnicas de salto.
Todos os exercícios devem ser elaborados utilizando os vários elementos técnicos, harmoniosamente acompanhados por música (sem voz), num tempo máximo de 2 minutos e trinta segundos, num praticável de 12 x 12 m.
O esquema tem que começar numa posição estática, ser coreografado e terminar numa posição estática. Cada elemento estático do par ou grupo tem que ser mantido durante um tempo mínimo de 3 segundos.

Funções:
O trabalho na G.A. pode ser constituído por vários elementos (por exemplo: dois (pares), três (trios), quatro (quadras) indivíduos, etc).
Dentro destas unidades acima referidas, encontramos três designações específicas para cada um dos elementos que compõem cada par/grupo:
1)      Base: aquele(a) que se encontra, por definição, na base da estrutura gímnica em questão [na prática é o(a) que está "por baixo", é o(a) que sustenta o conjunto]. Tem, normalmente, capacidades psicológicas e físicas diferentes dos outros indivíduos: - é responsável e disciplinador, é mais forte, pesado e, porventura, mais alto;
2)      Volante: É aquele(a) que fica no topo do conjunto. Deverá ter um grande domínio corporal e alguma força explosiva. A grande tonicidade muscular é uma característica importante nos volantes – fornecendo assim, maior estabilidade e segurança ao base, deve ser leve e ter uma estatura inferior à deste último.
3)      Intermédio: Tal como o nome indica, fica no meio. Deverá ser versátil e combinar aspetos importantes do desempenho do base e do volante.

Estrutura dos Exercícios:
Na G.A. há 3 tipos de exercícios, diferindo quer na estrutura, quer no conteúdo:
1)      Exercício de Equilíbrio (estáticos): é preenchido com elementos de equilíbrio, onde não é contabilizada qualquer posição com fase de voo. São elementos estáticos ou "dinâmicos de equilíbrio", devido ao facto de serem realizados em movimento. (devem demonstrar força, equilíbrio, flexibilidade e agilidade – montes, desmontes, transições, subidas em força, espargata, rolamentos, roda, piruetas, voltas, ondas, saltos de mãos, etc.)
2)      Exercício Dinâmico: os elementos que o compõem têm uma fase de voo visível. (devem demonstrar fase de voo individuais e assistidos, lançamentos, receções e ligações, saltos rotações, mortais, etc.)
3)      Exercício Combinado: perfaz os dois tipos de elementos acima descritos, sendo composto por elementos dinâmicos e de equilíbrio.

Estrutura dos Elementos:
Na Ginástica Acrobática há quatro grupos de elementos:
1)      Montes (Solo → Base): subidas com ou sem fase de voo - quer para os ombros do base, quer para as mãos deste, etc.)
2)      Desmontes (Base → Solo): implicam uma descida ou salto do base para o solo.
3)      Apanhados em fase de voo - "Catch" (Base → Base): todos os elementos que terminam no momento em que o(s) base(s) apanha(m) o volante após uma fase ou período de voo deste último.
4)      Elementos com fase de voo (Solo → Solo): engloba os elementos (dinâmicos) que têm início no solo e nos quais o volante sofre uma projeção que o fará descrever uma trajetória aérea, efetuando a receção de regresso ao praticável (p. e. rondada → salto mortal).

Para a realização de um exercício completo (e não apenas das figuras), é necessário um outro tipo de elementos: - Elementos Individuais.

Existem 4 sub-categorias:
- Elementos individuais de equilíbrio (p.e. avião ou bandeira);
- Elementos individuais de flexibilidade (p.e. espargata ou aranha);
- Elementos individuais acrobáticos (p.e. mortal ou flick-flack);
- Elementos individuais coreográficos (p.e. ejambé ou “corsa”).



Técnica de Pegas e suportes:
Elementos técnicos essenciais que permitem agarrar e suportar os colegas, para construir e manter diversas figuras acrobáticos em segurança.
1)      Pega Simples: utilizada frequentemente pelo volante quando colocado à frente do base (de costas ou de lado).
2)      Pega de Pulsos ou Punhos: pega utilizada principalmente quando os ginastas se agarram com uma só mão.
3)      Pega Frontal: mãos homónimas com o base e o volante colocados frente a frente.
4)      Pega de Cotovelos: o base agarra o volante acima do cotovelo pelo lado exterior; o volante agarra o base acima do cotovelo pelo lado interno. Esta pega é utilizada quando os ginastas estão colocados frente a frente.
5)      Pega de Braços: os ginastas agarram-se mutuamente pelos braços; o base agarra o volante pelo lado interno e o volante agarra o base pelo lado externo.
6)      Pega Entrelaçada ou Ensarilhada: utilizada em trios e quadras, denominada por “cadeirinha” para projeções e catches (apanhar).
7)      Pega de Pé/Mão: o base agarra o pé do volante entre o calcanhar e a face plantar. Esta função serve de suporte e ao mesmo tempo de impulsão. A pega pode ser de frente ou de trás.
8)      Pega frontal invertida: o base e o volante colocados frente a frente. Utiliza-se em posições em que o volante fica em equilíbrio sobre o base.
9)      Pega de Apoio ou Estafa: posicionamento das mãos utilizando pela base par auxiliar as subidas e projeções do volante.
10)   Suporte na posição de pé sobre os ombros: volante com os calcanhares unidos atrás da cabeça do base, segurando este o volante pelos gémeos.

Bibliografia:
França, L. (n.e.)"Em defesa da Ginástica Acrobática na Escola", artigo publicado na internet.